Consumo no Dia das Crianças será pior do que o ano passado, de acordo com a Federação do Comércio

O comércio de artigos para o Dia das Crianças ainda será atingido pela crise da pandemia este ano

Na pesquisa realizada no mês de setembro pela Fecomércio, o nível de consumo das famílias obteve crescimento de +0,7% em relação ao mês anterior, revelando a segunda aceleração consecutiva do indicador nas passagens mensais. Mesmo assim, com esses resultados, de acordo com a Federação do Comércio, a atividade comercial de São Luís ainda terá um Dia das Crianças pior do que o ano passado.

Mas a data comemorativa deverá impulsionar a gradativa recuperação mensal das vendas na capital maranhense. Segundo a pesquisa, três componentes que formam o indicador puxaram a aceleração do otimismo do consumidor na variação mensal: a avaliação sobre o nível de consumo atual (+11,2%), as perspectivas de melhoria profissional (+7,7%) e percepção sobre a segurança no emprego atual (+4,7%).

Para a Federação do Comércio, os resultados da pesquisa mostram que o consumidor ludovicense tem percebido a retomada do mercado de trabalho local como uma oportunidade de recuperação do seu nível de consumo de antes da pandemia. Tomando como base o período de janeiro a agosto deste ano, o mercado de trabalho de São Luís tem conseguido reverter gradativamente os impactos negativos da pandemia e já apresenta saldo positivo de 5.889 postos de trabalho com carteira assinada, embora 4.519 dessas vagas criadas tenham sido registradas no setor de serviços de saúde.

Os demais setores também já apresentam saldo positivo de emprego no ano, apesar de resultados ainda tímidos, com destaque para a construção civil com saldo de +991 novos postos de trabalho, enquanto o comércio (+377) e a indústria (+160) ainda seguem em compasso de espera para voltar a gerar empregos de forma mais expressiva. As únicas exceções na apresentação de saldo positivo de empregos no ano em São Luís são os setores de alimentação e alojamento (-1.219) e educação (-59).

A pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é um indicador com capacidade de medir a avaliação que os consumidores fazem sobre aspectos importantes da condição de vida de sua família, tais como a sua capacidade de consumo, atual e de curto prazo, nível de renda doméstico, segurança no emprego e qualidade de consumo, presente e futuro. Trata-se de um indicador antecedente do consumo, a partir do ponto de vista dos consumidores e não por uso de modelos econométricos, tornando-o uma ferramenta poderosa para a própria política econômica, para as atividades produtivas, para consultorias e instituições financeiras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s